sábado, 23 de agosto de 2008

parque leon feffer

para quem não sabe, leon feffer fundou a suzano papel e celulose, grande transformadora de eucaliptos em folhas... não de árvores... tudo bem: adoro papéis!!


verticais



sexta-feira, 22 de agosto de 2008

bienal do livro

termina neste domingo, dia 24 (domingo), a 20a. bienal internacional do livro de são paulo; bem, difícil falar sobre esse assunto... pra mim, isso costuma ser um dos eventos culturais mais, com perdão da analogia, excitantes... livros e mais livros, expostos por editoras e livrarias, com direito a lançamentos, presença de alguns autores e diversas atividades culturais; ainda que o objetivo da feira seja "também" comercial, somente a visitação (sem compras) vale muito para todos aqueles que adoram o conhecimento, seja ele de que forma for... tem livro sobre tudo; e mesmo que o brasil não seja propriamente um país de leitores, qualquer um que for numa bienal pela primeira vez, se surpreenderá com o mercado editorial brasileiro; sempre é bom lembrar que o universo dos livros vai muito além daqueles best-sellers que as grandes redes de livrarias nos querem empurrar nas vitrines de suas lojas "arrumadinhas" como verdadeiras ratoeiras; bienal do livro, então, é uma grande chance de fugir do clichê e correr atrás da diversidade cultural, pois acredito que cada um tenha seus prórpios interesses, ainda que por serem descobertos... literatura em prosa e poesia, quadrinhos, livros técnicos, dicionários, livros de arte, os deuses a quatro!! eu, particularmente, adoro fuçar no espaço da associação brasileira de editoras universitárias (abeu), em geral um espaço não muito popular dentro das bienais, no qual podemos ter acesso a diversas obras que nossas universidades, públicas e particulares, publicam e que dificilmente circulam nas livrarias de todo brasil; também costumo dedicar bastante tempo a "descobrir" pequenas e boas editoras que enfrentam o grande problema de distribuição dos seus livros e que só num evento como esse alcançam uma certa visibilidade sobre as obras que publicam; claro, dá também para se deliciar passeando pelas prateleiras de editoras já tradicionais em qualidade: artmed, ática/scipione, brasiliense, cia. das letras/jorge zahar, conrad, cortez, cosac naify, l&pm, martins fontes, moderna/objetiva, nova fronteira, papirus, pensamento/cultrix, senac, summus e 34 - só para citar algumas das minhas preferidas... é um programa para horas!! para quem quiser aproveitar mais os eventos, eu sugiro o salão de idéias volkswagen (vejam no site a programação deste fim de semana); aproveitem!!

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

zé de riba: um p. s.

.
infelizmente tive que atender a solicitações e retirar aqui do blog alguns vídeos da postagem "zé de riba"... aproveito para informar, então, o endereço do zé no
myspace: myspace.com/zederiba
espero que vocês aproveitem o som dele por lá...


quinta-feira, 14 de agosto de 2008

o lugar das coisas


moji



terça-feira, 12 de agosto de 2008

zé de riba


mais brasil (mogi das cruzes)
9.ago.2008


sábado, dia 9, fui com algumas amigas ao show no
mais brasil (www.maisbrasilespacodecultura.com.br) de um cabra do maranhão chamado zé de riba; eu já tinha me encantado com o som e letra desse sujeito quando de sua apresentação antes de um show do lenine, ano passado em suzano; lembro que na ocasião eu havia ido lá para ver o cantor/compositor pernambucano, mas teria ficado totalmente satisfeito se tivesse assistido somente ao maranhense...

zé de riba é boa gente e um ótimo artista; ele lançou seu primeiro cd,
reprocesso, em 2006 e tem um merecido (talvez ainda nem tanto...) reconhecimento; seu repertório - algumas composições suas e outras com alguns parceiros - fala de um jeito bem brasileiro de coisas nada diferentes... exemplo disso são as músicas oito pilha hum real, sabe alencar, samba pra bocato e desempregado... já a melódica fuga no. 1 é de uma beleza tão singela e universal que agrada a todos numa primeira audição (o vídeo que postei abaixo dessa música me parece uma montagem "caseira" como tantas que a gente acha no youtube; está aí somente para vocês conhecerem a música... há inclusive alterações indevidas na letra que está nas legendas!);

certo sucesso "global" fez a
verborrágica www.sem, pois andou circulando em alguns programas televisivos na voz da cantora simone (vejam vídeo mais abaixo...), que gravou esta e fuga no. 1 no seu disco seda pura (2001); pelo que o próprio zé de riba disse, sucesso mesmo ele tem feito em suas apresentações fora do brasil ("esse seu jazz é muito louco!", disseram); nada muito inédito em se tratando de bons músicos brasileiros quando no exterior...

ao final da cantoria zé de riba me contou ainda, dessa vez em particular, que se incomodou um pouco com a falação da platéia durante seu show; verdade: parece que algumas pessoas foram lá só para conversar e ouvir música ambiente... logo no
mais brasil!! e que por isso tratou de dar uma bronca "de leve" quando agradeceu ironicamente a atenção que estava recebendo ali de todos... bom, eu faria o mesmo (eu, que estava quase que do lado do palco, não estava conseguindo ouvir direito o que ele cantava...);

paciência também tivemos que ter, depois de zé ter terminado de cantar, para agüentar a campanha política proselitista de certo candidato a prefeito presente no local... pra vocês terem noção, quando cumprimentei o referido candidato com um aperto de mão, dizendo meu nome para me apresentar, tive que ouvir: "eu lembro de você, gabriel"... bem, nem eu lembrava dele! melhor poupar comentários...

zé de riba no humaitá pra peixe
video


zé de riba - reprocesso
video


zé de riba - fuga no. 1

zé de riba - reprocesso (ao vivo)

simone - www.sem


quinta-feira, 7 de agosto de 2008

seis fotos



sábado, 2 de agosto de 2008

mistura

sempre digo e repito: não conheço ninguém interessante que não goste de tudo um pouco... é claro, mais de algumas coisas, menos de outras... o que não dá é se concentrar em uma coisa só, se especializar; pra mim a palavra mixórdia nada ou muito pouco tem de pejorativo! creio que isso é válido, particularmente, no terreno da cultura e das artes, uma vez que diversas linguagens e conhecimentos se sobrepõem e se "completam"; o mundo é isso, tudo junto ao mesmo tempo, aqui e agora...