segunda-feira, 28 de julho de 2008

arnaldo antunes

a cidade na qual eu moro (mogi das cruzes) tem quatro salas de cinema - e, creio eu, apenas dois museus... filme bom aqui só mesmo em dvd, já que só passa porcaria comercial, ou seja, aquela coisa bem típica de transformar cinema em mero entretenimento alienado; ainda bem que são paulo é aqui do lado...

alguns bares, onde toca música ao vivo, colocam faixas em suas fachadas com dizeres assim: "dia tal, tal hora, elis regina" com letras bem grandes; e bem pequenininho: "por fulana de tal"... aff!!!
lamentável... e o povo que eu encontro ainda fala: "hoje vou ver elis regina"... eu, heim...

de vez em quando um outdoor aparece na cidade: "show de ..."; a gente procura a data e vê que vai ser daqui a uns dois meses... pois é, longa espera...

apenas alguns exemplos de fatos de uma cidade onde qualquer rua larga é chamada de avenida...

no mais, arnaldo antunes é mesmo um grande poeta! vejam aí embaixo...



video


video

quarta-feira, 23 de julho de 2008

black & color


sombras I



quadros

para quem é adepto da geografização, isso tudo se passou na praça do trator (melhor que aquele outro nome...), aqui em mogi das cruzes mesmo... a carla viu um quê de rené magritte, quem dera...


sábado, 19 de julho de 2008

novamente

essa também foi gravada por ney, no já citado disco olhos de farol... aqui está a versão com o compositor, fred martins... extremamente poética, na minha opinião... assim o sangue corre em cada veia / o vento brinca com os grãos de areia / poetas cortejando a branca luz / e ao mesmo tempo que machuca / o tempo me passeia...

video

miséria no japão / tesouros na favela

não sei se isso fez muito sucesso na época (já faz quase 10 anos...), mas me parece um grande momento da mpb, poeticamente falando... música e clipe (aliás, diga-se de passagem: que bela idéia essa de uma favela só com "japoneses"!! no mínimo, eu diria, provocativo...); gosto muito desses versos: não tem medida, o amor é em certos casos / o ódio atinge generais, soldados rasos... que coisa, heim!!

p. s.: peço desculpas pela baixa qualidade do vídeo; se conseguir um melhor, substituirei...

video

terça-feira, 15 de julho de 2008

flânerie



sexta-feira, 11 de julho de 2008

pré-socráticos na mesa do bar

dias desses me peguei discutindo filosofia pré-socrática com meu amigo cícero; lógico que foi num bar e à noite, local e período pra lá de propícios para incursões epistemológicas despretensiosas... há tempos, acho que desde que deixei de lecionar filosofia da ciência na universidade são judas (1991-1995), não me dedico a refletir sobre esses pensadores do período arcaico (do séc. vii ao séc. vi a.c.) da grécia antiga - período esse que se caracterizou pelo desenvolvimento da pólis e do escravismo, o que acabou resultando nas condições históricas básicas para o desenvolvimento do pensamento racional entre aquele povo disperso entre o mar jônico e o mar egeu;

na história da filosofia, os poucos registros escritos que esses pensadores pré-socráticos deixaram (ou o que pelo menos foi possível encontrar) são conhecidos como fragmentos - não é o caso quanto a tales de mileto, de quem só sabemos por conta exclusivamente de uma doxografia (mais ou menos aquilo que seria uma coleção de opiniões encontradas em outros registros da época);

alguns dos fragmentos pré-socráticos se tornaram bem populares e muitas vezes o senso comum atual recorre a eles, mesmo que de maneira livre; só para dar um exemplo, quem aí não reconhece esses?, de heráclito de éfeso: "para os que entram nos mesmos rios, correm outras e novas águas"; "descemos e não descemos nos mesmos rios; somos e não somos"; "não se pode entrar duas vezes no mesmo rio; dispersa-se e reúne-se; avança e se retira"; heráclito, também conhecido como "o obscuro", defendia basicamente a idéia de que tudo está em movimento ("a natureza ama esconder-se") e, por isso, é sempre citado em oposição ao pensador parmênides de eléia, que defendia a doutrina da permanência, acreditando que pensar e ser é o mesmo;

gosto particularmente de alguns fragmentos de heráclito, talvez não tão profundos, algo assim lado b: "o sol tem a largura de um pé humano" (imagino ele deitado ao sol do verão, sem ter o que fazer, esticando a perna e tentando se proteger dos raios solares com a sombra do seu pé... rsrsrs); "se todas as coisas se tornassem fumaça, conhecer-se-ia com as narinas" (êta preguiça!!); "não se deve agir nem falar com os que dormem" (o que ele andou tentando fazer com as pessoas que dormiam com ele?);

se bem me lembro, eu e cícero falamos um pouco mais dessa turma, que inclui nomes como anaximandro, pitágoras, empédocles, leucipo, demócrito etc; tal como na história, o papo pré-socrático terminou quando lembramos da não tão doce xantipa, mulher de sócrates... parece que até naquela sociedade ultra-machista, na qual mulheres não eram cidadãs e a homossexualidade era coisa de macho, valia o ditado: atrás de um grande sócrates sempre há uma grande xantipa...

quinta-feira, 10 de julho de 2008

severn cullis-suzuki na eco-92

esse discurso é histórico... essa pequena canadense, que na época da eco-92 (rio de janeiro) tinha 12 anos, falou o que tinha que ser falado, de um modo que só uma menina de 12 anos poderia falar; dirigindo-se a autoridades de diversos países, ela basicamente defendeu a importância da "responsabilidade compartilhada" como forma de preservar o planeta para as futuras gerações; hoje, com 28 anos, severn é ativista ambiental, formada em ecologia e biologia evolutiva pela universidade de yale; além de dar palestras pelo mundo a fora, severn desenvolve projetos ambientais e participa de diversas expedições científicas; uma pena é saber que esse seu discurso é ainda atual...

video

segunda-feira, 7 de julho de 2008

muro


madredeus

reclamaram que estou postando poucas coisas nacionais... verdade!! mas por favor, sem ufanismos, ok?

em todo caso, aos defensores do idioma português, hoje vou falar de um grupo lusitano: o madredeus (que tem esse nome por causa de um bairro de lisboa onde eles começaram);
acho que muitos devem lembrar da música da abertura da mini-série global os maias (2001 - adaptação televisiva da grande obra de eça de queiroz); a música em questão chama-se o pastor, com um belíssimo arranjo de cello...

parece que com a saída da vocalista teresa salgueiro em 2007, o grupo está com futuro incerto; uma pena... mas a obra do madredeus até então já conseguiu se caracterizar como um belo produto
for export das terras de camões... visão capitalista de lado (por favor!), considero as músicas desse grupo como algo transcendente, quase que sacras ou, talvez, aquilo que poderíamos chamar de ecumênicas (e olhem que sou ateu!); são melodias profundas (com letras talvez nem tanto...), com impecáveis performances (= desempenhos) dos instrumentistas e da doce vocalista que soube bem explorar uma imagem emblemática, quase que de santidade (exagero meu?); bom, é claro que isso tudo só vale para quem aprecia também o sotaque daquele povo além-mar (dando o troco, rsrs);

em 1994 o diretor de cinema alemão wim wenders (paris, texas; asas do desejo; faraway, so close!) filmou
sob o céu de lisboa (lisbon story), no qual os integrantes do grupo madredeus interpretavam eles próprios; o argumento do filme é meio besta (um engenheiro de som à procura de um amigo cineasta) mas isso não desqualifica a direção de wenders nem a presença do grupo, responsável "também" pela trilha sonora do filme;

outra curiosidade é que o grupo lançou um disco (me nego a falar cd!) em 2002 com compilações de suas músicas arranjadas eletronicamente por famosos d.j.s europeus, o que causou, segundo informações da mídia, uma certa polêmica entre fãs e críticos, mas que com certeza deve ter agradado os adoradores de putz-putz e bate-estacas de plantão... (faixas desse disco, bem como dos demais trabalhos do grupo, podem ser encontradas facilmente na net);

por fim, preciso desabafar: há cerca de 9 anos atrás (mais precisamente em 23 de setembro de 1999), em uma de suas turnês pelo brasil, madredeus se apresentou em mogi das cruzes, o que me deixa profundamente revoltado! - na época, eu já havia iniciado relações com essa cidade, mas nem fiquei sabendo... aff... naquele ano eu só vinha para a terra do caqui (acho que nunca comi caqui nesta cidade!) às segundas; a apresentação foi numa quinta-feira...

madredeus - ao longe o mar
video

madredeus - haja o que houver
video

madredeus - o paraíso
video

madredeus - graça - a última ciência
video

madredeus - o pastor / cuidado
video

sexta-feira, 4 de julho de 2008

sobre as fotos deste blog

as fotografias aqui postadas (quando sem os devidos créditos) são de minha autoria...

quinta-feira, 3 de julho de 2008

p & b II


p & b I


terça-feira, 1 de julho de 2008

o mundo em minhas teclas - notas de esclarecimento

nota 1: não sei quanta gente visita esse blog, mas alguns amigos meus estão reclamando da dificuldade/impossibilidade de postar comentários nele... não faço a mínima idéia do que acontece, pois configurei para que até mesmo comentários anônimos sejam permitidos; vejam se vocês estão seguindo os passos de forma correta (se mesmo assim não funcionar, por favor me relate, via e-mail, o que exatamente acontece de impedimento para eu tomar as devidas providências (devidas, não divinas... rsrsrs);

nota 2: na impossibilidade dos comentários serem postados, há o recurso do livro de visita (no alto, à esquerda) que parece estar funcionanado a contento e no qual há espaço
para um breve texto livre, além do espaço destinado para as respostas às perguntas ali feitas;

nota 3: para quem não é íntimo dessa coisa de blogs, vale lembrar que o mundo em minhas teclas já possui várias páginas; para acessá-las é só ir até lá embaixo e clicar em postagens mais antigas (link que aparece a cada página, até chegar na última); outra opção é abrir as postagens antigas pelo menu (arquivo do blog) situado à esquerda;

nota 4: todas as fotos postadas podem ser ampliadas, basta clicar em cima delas; já os vídeos, quando acionados no botão de play, tocam melhor se, logo em seguida, se der um pause e esperar carregar um pouco antes de clicar o play novamente (reparem que o volume do áudio pode ser regulado);

nota 5: quem visita o blog regularmente, deve ter percebido que aumentei o tamanho da fonte dos textos; relutei muito em fazer isso, mas desconfio que alguns visitantes deixavam de ler as coisas aqui escritas devido à dificuldade de enxergar aquelas letrinhas de antes (claro que não era por preguiça...);

nota 6: não deixem de votar na enquete sobre o que vocês mais querem ver neste blog; tentarei, na medida do possível, respeitar o resultado
dessa enquete (ainda que esse resultado seja dinâmico e, portanto, sujeito a "variações constantes"...); é claro que eu me reservo ao direito de postar o que eu bem entender, conforme meus interesses momentâneos...